Ana Faustino e Ricardo Dias vencem Prémio Literário Branquinho da Fonseca

As obras "O cotão Simão", de Ana Rita Faustino, e "O primeiro país da manhã", de Ricardo Dias, venceram o prémio literário Branquinho da Fonseca 2013, de literatura para a infância, anunciou hoje a Fundação Calouste Gulbenkian.

Na sétima edição, o júri decidiu atribuir o prémio em ex-aequo àquelas duas histórias inéditas pela qualidade da escrita e pelo grau apurado de imaginação nelas inscrito, disse à Lusa fonte da fundação.
Ana Rita Faustino, 25 anos, natural de Setúbal é professora do ensino básico e doutorada pela Universidade Nova de Lisboa, enquanto Ricardo Dias, de 19 anos, frequenta o curso de jornalismo da Escola Superior de Comunicação Social.

Além dos dois premiados, foi ainda decidida uma menção honrosa para Elisabete Catarino, de 28 anos, atualmente voluntária em São Tomé e Príncipe, pela obra "O vulcão sopão", por causa do "caráter didático e formativo e pela sua atualidade temática".

Os galardoados receberão o prémio numa cerimónia no início de dezembro na fundação, em Lisboa.
O júri, composto pelos escritores Ana Maria Magalhães, Rita Taborda Duarte e José António Gomes, por Fernando Madrinha, do Jornal Expresso, e por Maria Helena Melim Borges, da Fundação Calouste Gulbenkian, decidiu ainda não atribuir o prémio na categoria de literatura juvenil, porque nenhuma obra a concurso "atingiu o grau de exigência". Ler no JN

Comentários

Mensagens populares deste blogue

Livro da semana: "Todos os caminhos"

Livro da semana: "A princesa Sofia e a fada trapalhona"

Livro da semana: "Os pássaros também choram" de Tiago Seixas