Poesia sim...

Não Canto a NoiteNão canto a noite porque no meu canto 
O sol que canto acabara em noite. 
Não ignoro o que esqueço. 
Canto por esquecê-lo. 

Pudesse eu suspender, inda que em sonho, 
O apolíneo curso, e conhecer-me, 
Inda que louco, gêmeo 
De uma hora imperecível! 

Ricardo Reis, in "Odes" 
Heterónimo de Fernando Pessoa

Comentários

Mensagens populares deste blogue

Livro da semana: "Todos os caminhos"

Livro da semana: "A princesa Sofia e a fada trapalhona"

Livro da semana: "Os pássaros também choram" de Tiago Seixas