Falecimentos: Ilse Llosa 20 de Março 1913 - 6 de janeiro 2006



Nascida na Alemanha, frequentou o liceu em Osnabrück e Hildesheim e mais tarde um instituto comercial em Hannover.
Ameaçada pela Gestapo de ser enviada para um campo de concentração devido à sua origem judaica, abandonou o seu país natal em 1930. Deslocou-se primeiro para Inglaterra onde teve os primeiros contactos com escolas infantis e com os problemas das crianças. Chegou a Portugal em 1934, tendo-se fixado na cidade do Porto, onde casou com o arquitecto Arménio Taveira Losa, tendo adquirido a nacionalidade portuguesa. Em 1943, publicou o seu primeiro livro "O mundo em que vivi" e desde dessa altura, dedicou a sua vida à tradução e à literatura infanto-juvenil, tendo sido galardoada em 1984 com o Grande Prémio Gulbenkian para o conjunto da sua obra dirigida às crianças. Em 1998 recebeu o Grande Prémio de Crónica, da APE (Associação

Portuguesa de Escritores) devido à sua obra À Flor do Tempo. Colaborou em diversos jornais e revistas, alemães e portugueses, está representada em várias antologias de autores portugueses e colaborou na organização e traduziu antologias de obras portuguesas publicadas na Alemanha. Traduziu do alemão para português alguns dos mais consagrados autores.

Obras:

O mundo em que vivi (1943)
Faísca conta a sua história (1949)
Grades brancas (1951)
Rio sem ponte (1952)
A flor azul (1955)
Ida e volta (1958)
Sob céus estranhos (1962)
Encontros no outono (1964)
O barco afundado (1979)
Na Quinta das Cerejeiras (1984)
A visita do padrinho (1989)
Um artista chamado duque (1990)
Beatriz e o plátano
O Rei Rique e outras Histórias
O Senhor Pechincha e outras Histórias

Prémios:

1982: Prémio da Fundação Gulbenkian, pelo livro "Na Quinta das Cerejeiras".
1984: Grande Prémio Gulbenkian, pelo conjunto da obra.
1989: Prémio Maçã de Ouro da Bienal Internacional de Bratislava, pelo conto "Silka".


Comentários

Mensagens populares deste blogue

Livro da semana: "Todos os caminhos"

Livro da semana: "A princesa Sofia e a fada trapalhona"

Livro da semana: "Os pássaros também choram" de Tiago Seixas